Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Casais homoafetivos masculinos: possibilidades de ter filhos

Casais homoafetivos masculinos: possibilidades de ter filhos

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A legislação brasileira possibilita a aplicação da reprodução assistida para casais homoafetivos masculinos e femininos desde a resolução nº 2013/2013 do Conselho Federal de Medicina (CFM). Esse avanço permitiu que inúmeras famílias pudessem engravidar e realizar o sonho de terem filhos biológicos, tendo problemas infertilidade ou não.

O avanço da reprodução assistida também possibilitou que a fertilização in vitro (FIV) e as suas técnicas complementares — como a doação de gametas e a cessão temporária de útero — apresentasse excelentes resultados, tornando-as opções viáveis para inúmeros casais.

Continue a leitura para conhecer as possibilidades de casais homoafetivos masculinos terem filhos por meio da reprodução assistida. E ainda, vamos mostrar como ela é realizada e qual é a sua taxa de sucesso.

Confira!

Quais são as possibilidades para casais homoafetivos terem filhos?

Os casais homoafetivos masculinos e femininos podem ter filhos com o auxílio da reprodução assistida. Porém, são utilizadas técnicas diferentes em cada caso.

Os homens utilizam a doação de óvulos e a cessão temporária de útero, por isso, a fertilização in vitro é a única técnica de reprodução assistida utilizada. Para casais femininos é realizada a doação de sêmen e, tanto a inseminação artificial, quanto a FIV são possibilidades viáveis.

Essa diferença acontece porque na FIV a fecundação dos óvulos acontece fora do corpo da mulher, ela é realizada em laboratório, após a coleta dos gametas femininos e masculinos, sejam eles doados ou não. Para os casais femininos, a inseminação artificial também é uma possibilidade. Nesse caso, os espermatozoides doados são introduzidos no útero de uma das parceiras para que a fecundação aconteça.

A doação de óvulos e a cessão temporária de útero são técnicas complementares regulamentadas pelo Conselho Federal de Medicina e utilizadas durante o processo da FIV por casais homoafetivos masculinos. A seguir, conheça cada uma delas.

Doação de óvulos (ovodoação)

Na doação de óvulos, a mulher doa alguns dos seus gametas para um casal que está passando pelo processo da fertilização in vitro. Os óvulos serão fecundados pelos espermatozoides de um dos parceiros e serão gestados por outra voluntária, que será o útero de substituição (barriga de aluguel).

A doação de gametas possui algumas regras para que o processo aconteça com segurança para todas as partes envolvidas. Entre as principais regras estão:

Cessão temporária de útero

A cessão temporária de útero ou o útero de substituição é popularmente conhecida como barriga de aluguel. Assim como na ovodoação, a técnica também não pode ter caráter comercial ou lucrativo.

Ela deve ser realizada de acordo com as regras do CFM, como:

Vale ressaltar que homens e mulheres também podem utilizar as técnicas de reprodução assistida para ter filhos por produção independente.

Como é feita a reprodução assistida para casais homoafetivos masculinos?

blank

A fertilização in vitro é a única técnica de reprodução assistida que pode ser utilizada nesse contexto. A clínica de reprodução assistida auxilia na escolha da doadora de óvulos, buscando compatibilidade com as características físicas dos pais.

No dia da fecundação, um dos parceiros ou ambos fazem a coleta de sêmen, que passa por um preparo seminal antes de ser utilizado. Esse processo garante que apenas os espermatozoides de maior qualidade serão utilizando, aumentando as chances de sucesso da FIV.

Com a técnica ICSI, os espermatozoides são inseridos no óvulo para formar os embriões. Eles passam alguns dias em observação antes de serem transferidos para a mulher que irá gestar o filho do casal.

Qual é a taxa de sucesso da técnica?

A fertilização in vitro é a técnica de reprodução assistida com a maior taxa de sucesso. A idade da doadora dos óvulos é um dos fatores mais importantes para o sucesso da FIV, pois os gametas femininos também envelhecem com o passar dos anos. De acordo com o CFM, a doadora deve ter até 35 anos. Nessa faixa etária, 55% dos ciclos da FIV são bem-sucedidos.

Os casais homoafetivos masculinos podem aumentar a família com o auxílio da FIV e das suas técnicas complementares, a ovodoação e a cessão temporária de útero. Para isso, o casal deve procurar uma clínica de reprodução assistida para guiá-los durante todo o processo.

Assim como nos casos de infertilidade, a reprodução assistida é uma grande aliada para os casais homoafetivos que desejam ter filhos biológicos. Nesse artigo, o nosso foco estava nos casais homoafetivos masculinos, porém, os casais femininos também são beneficiados. Para ter uma visão geral sobre o assunto, confira o nosso conteúdo sobre casais homoafetivos e a reprodução assistida!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank