Art Fértil
Congelamento de óvulos

Congelamento de óvulos

Um recurso importante para a FIV (fertilização in vitro), o congelamento de óvulos apresenta vantagens tanto em questões sociais, quanto em casos de enfermidades que comprometam a fertilidade feminina.

A técnica pode ser utilizada, por exemplo, para a preservação da fertilidade em antecipação ao declínio da fertilidade, comum ao envelhecimento, procedimento chamado congelamento social, ou em diferentes situações médicas, incluindo pacientes submetidas a tratamentos para neoplasias, que podem comprometer a qualidade dos gametas femininos.

Este texto trata do funcionamento do congelamento de óvulos nos tratamentos por FIV, destacando os casos em que ele é indicado, e os possíveis riscos associados ao procedimento.

Como o congelamento de óvulos funciona?

O congelamento de óvulos é uma técnica complementar à FIV. Por isso, para ser beneficiada por ela, a mulher deve realizar o tratamento.

Antes, porém, diferentes exames são indicados, ente eles a avaliação da reserva ovariana, que determina a quantidade dos gametas, e testes hormonais, para analisar os níveis dos hormônios envolvidos no processo reprodutivo, cujos resultados são importantes para determinar a dosagem dos medicamentos utilizados na estimulação ovariana, procedimento realizado com o propósito de obter mais óvulos maduros para serem congelados.

Exames sorológicos para a detecção de bactérias, incluindo as sexualmente transmissíveis, como Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, são obrigatórios, pois elas são os principais agentes causadores de processos infecciosos, que tendem a alterar a qualidade dos óvulos. Já os exames de imagem, como a ultrassonografia, são realizados para avaliar a estrutura dos ovários.

A primeira etapa do tratamento é a estimulação ovariana, que tem como objetivo estimular o desenvolvimento de mais folículos. É realizada por medicamentos hormonais com dosagem individualizada, definida a partir dos resultados diagnósticos.

Para acompanhar o desenvolvimento dos folículos, ultrassonografias são realizadas, em média, a cada dois dias. Elas indicam quando os folículos estarão no tamanho ideal para que a ovulação seja induzida. Após cerca de 35 horas, antes de ocorrer a ovulação, a punção folicular é realizada para a coleta dos folículos. No laboratório de FIV, os óvulos são captados, e os óvulos maduros são selecionados para o congelamento. O procedimento pode ser repetido em outros ciclos, até que a quantidade adequada de óvulos seja obtida: pelo menos 10 óvulos maduros.

A vitrificação é a técnica mais utilizada atualmente para o congelamento. O método utiliza soluções crioprotetoras para impedir a formação de cristais de gelo na estrutura dos óvulos, o que pode danificar e prejudicar sua capacidade de fecundação.

Se o objetivo for a preservação social da fertilidade, a coleta deve ser preferencialmente realizada até os 36 anos, pois a partir dessa idade a reserva ovariana naturalmente diminui e, consequentemente, a qualidade e quantidade dos gametas também declinam.

É normal a ocorrência de cólicas, inchaço e pressão nos ovários após o procedimento, sintomas que geralmente tendem a desaparecer em algumas semanas. Por outro lado, a recuperação é rápida e as atividades normais podem ser retomadas em uma semana.

No entanto, durante esse período, é importante evitar a relação sexual desprotegida, uma vez que os medicamentos utilizados para estimulação ovariana aumentam as chances de gravidez.

Quando o congelamento de óvulos é indicado?

Além de ser uma alternativa importante para mulheres que desejam adiar os planos de gravidez (preservação social da fertilidade) e para pacientes com o câncer (preservação oncológica da fertilidade), o congelamento de óvulos é também indicado quando há histórico familiar ou pessoal de insuficiência ovariana prematura, condição em que os sintomas da menopausa manifestam-se antes dos 40 anos.

Também é indicado para mulheres com endometriose em estágios graves, que serão submetidas a cirurgias que causam danos aos ovários, havendo o risco destes serem danificados pela doença e até nos casos em que precisam ser removidos.

Quais são os riscos provocados pelo congelamento de óvulos?

Embora o congelamento de óvulos seja considerado um procedimento de baixo risco, após a punção folicular, em poucos casos, pode ocorrer um processo infeccioso. Sintomas como sangramento abundante, dor abdominal severa, dificuldades para urinar, ganho de peso repentino, febre alta e calafrios, indicando a necessidade de procurar auxílio médico.

O aumento da produção de hormônios pelos ovários para induzir a estimulação, mais raramente pode levar ao desenvolvimento da síndrome de hiperestimulação ovariana (SHO). No entanto, atualmente a SHO é uma condição bastante rara.

Compartilhar: Deixe seu comentário: