Art Fértil
Como calcular o período fértil

Como calcular o período fértil

O período fértil é a fase do ciclo menstrual em que há mais chances de a mulher engravidar. Também conhecido como janela da fertilidade, para defini-lo, o cálculo considera o tempo de vida de ambos os gametas, óvulo e espermatozoides.

Saber como calcular o período fértil é um recurso importante para as mulheres que estão tentando engravidar. Nele ocorre a maturação final do folículo que se desenvolveu e que irá ovular. Por isso, intensificar a prática sexual durante a janela da fertilidade aumenta as chances de a gravidez ser bem-sucedida.

Este texto explica como calcular o período fértil em ciclos menstruais regulares e irregulares, assim como o funcionamento do ciclo menstrual. Destaca os sinais que contribuem para identificar o período de maior fertilidade, as causas que provocam irregularidades menstruais e como elas interferem na fertilidade feminina.

Entenda como o ciclo menstrual funciona e como calcular o período fértil em ciclos regulares e irregulares

Na maioria das mulheres, o ciclo menstrual tem duração de 28 dias. O ciclo é considerado regular quando acontece sempre nesse intervalo. Porém, ciclos regulares também podem ser um pouco mais curtos ou longos, desde que mantenham a mesma variação de dias.

Nos ciclos irregulares, por outro lado, a variação nos intervalos ocorre frequentemente. Podem ser mais curtos em um mês e mais longos em outro.

O ciclo menstrual inicia no primeiro dia da menstruação e é dividido em três fases. O funcionamento correto delas é fundamental para que a gravidez seja bem-sucedida.

A primeira fase é conhecida como fase folicular e tem a duração de treze dias. Nela, o crescimento dos folículos (bolsas que armazenam os óvulos) é estimulado pela ação dos hormônios FSH (hormônio folículo-estimulante) e LH (hormônio luteinizante). Os folículos que crescem induzem a secreção de estradiol, importante para o espessamento do endométrio.

No 14º dia, o óvulo é liberado e viaja até as tubas uterinas para que ocorra a fecundação. Essa fase é chamada ovulatória.

A partir do 15º dia, tem início a fase lútea, terceira e última, que dura até o último dia do ciclo menstrual. Na fase lútea, o folículo que armazenava o óvulo se transforma em corpo-lúteo, estimulando a secreção de progesterona, que age em conjunto com o estradiol para o espessamento final do endométrio e para a formação da placenta. O endométrio abriga e nutre o embrião até que a placenta seja formada.

Quando não ocorre a gravidez, o corpo-lúteo desintegra e os níveis hormonais diminuem, provocando a descamação do endométrio e a menstruação. Assim, inicia-se um novo ciclo.

Calculando o período fértil em ciclos regulares

O cálculo para o período fértil considera o tempo de vida do óvulo na tuba uterina e dos espermatozoides. O óvulo sobrevive por 24 a 36 horas, enquanto os gametas masculinos podem sobreviver por até três dias no organismo feminino. Ou seja, a janela da fertilidade tem a duração de cerca de seis dias. Durante esse período, as chances de os espermatozoides fecundarem o óvulo são maiores.

O número de dias não é exato porque tanto os espermatozoides como os óvulos podem sobreviver um pouco mais ou um pouco menos. Embora o ciclo da mulher possa ser regular, pequenas variações ainda acontecem. Existe uma série de fatores que influenciam nesse cálculo, mesmo em ciclos regulares.

Na fase ovulatória, o óvulo é liberado no 14º dia, quando a ovulação ocorre. Para fazer o cálculo, é só subtrair três dias da data, tempo de sobrevida dos espermatozoides. Por exemplo, caso a menstruação inicie no dia 5 do mês, a ovulação vai ocorrer no dia 19. Subtraindo 3, dá 16. O período de maior fertilidade, nesse caso, compreende o intervalo entre os dias 16 e 22 do mês.

Para garantir que o cálculo dê resultado, é importante sempre anotar o dia da menstruação.

Calculando o período fértil em ciclos irregulares

Os ciclos que estão continuamente fora dos intervalos regulares no período de um ano são considerados irregulares. As irregularidades menstruais têm como característica ciclos mais curtos ou longos, com fluxo menstrual de maior ou menor intensidade ou ausência de menstruação, condição conhecida como amenorreia.

Por isso, a fórmula para calcular o período fértil nos ciclos irregulares considera a variação entre o mais curto e o mais longo durante um ano. Para fazer o cálculo, a menstruação deve ser anotada a cada mês. Após os 12 meses, devem ser subtraídos 18 dias do ciclo mais curto e 11 dias do ciclo mais curto.

Se o ciclo mais longo tiver 30 dias e o mais curto 24 dias, por exemplo, o cálculo será: 30-11 = 19 e 26-18 = 8. O período fértil compreende o intervalo entre o 8º dia e o 19º.

Como o intervalo nos ciclos irregulares é maior, manter relações sexuais contribui para aumentar as chances de gravidez.

Em ambos os casos, alguns sinais característicos de ovulação também ajudam a identificar o período de maior fertilidade. As mamas ficam mais sensíveis e levemente inchadas e o muco cervical torna-se mais esbranquiçado e pegajoso, semelhante à clara de ovo.

Além disso, é possível ainda recorrer aos testes de ovulação. Assim como os testes de gravidez, eles são encontrados em farmácias e uma ótima alternativa para reforçar o cálculo.

Mulheres com ciclos irregulares que mantêm relação sexual frequentemente e não conseguem obter uma gravidez mesmo após a utilização da fórmula, devem procurar auxílio médico. Quando ocorrem por um ano ou mais, geralmente são um indicativo de disfunção na ovulação, uma das principais causas de infertilidade feminina.

Os problemas de ovulação são caracterizados pela baixa produção dos gametas femininos ou por dificuldades em liberar o óvulo, condição conhecida como anovulação, em que há ausência total de ovulação.

No entanto, a infertilidade causada por disfunção na ovulação pode ser tratada pelas técnicas de reprodução assistida. As três principais técnicas, relação sexual programada (RSP), inseminação intrauterina (IIU) e fertilização in vitro (FIV), preveem a estimulação ovariana, procedimento realizado com o propósito de estimular o desenvolvimento e amadurecimento de uma quantidade maior de folículos.

A indicação da técnica mais adequada para cada caso considera diferentes critérios, como a idade da mulher e a causa que provocou alterações no processo ovulatório.

Por outro lado, mulheres que pretendem adiar os planos de gravidez também podem utilizar a fórmula para calcular o período fértil, evitando, nesse caso, a prática sexual desprotegida durante o intervalo.

Compartilhar: Deixe seu comentário: