Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Espermograma e a avaliação da fertilidade masculina

Espermograma e a avaliação da fertilidade masculina

// Por Dra. Altina Castelo Branco

O espermograma é o exame mais solicitado para investigar a infertilidade masculina. Ele avalia a qualidade e a quantidade dos espermatozoides e do líquido seminal. Esses fatores, quando alterados, podem dificultar a gravidez.

Uma alteração seminal está relacionada a diversos fatores, como um desequilíbrio hormonal, traumas, doenças ou condições que podem comprometer a saúde reprodutiva do homem. A boa notícia é que em muitos casos existe tratamento e a possibilidade de recorrer à reprodução assistida.

Se você quer saber mais sobre como é feita a investigação da infertilidade conjugal, continue a leitura. Neste artigo, vamos apresentar como o espermograma ajuda na avaliação da fertilidade masculina.

Confira!

O que é fertilidade masculina?

O sistema reprodutor masculino é responsável pela produção dos espermatozoides (também chamados de gametas) e da testosterona. Para que a gravidez aconteça, tanto o homem, quanto a mulher precisam produzir gametas de qualidade e em boa qualidade.

No caso deles, os espermatozoides são produzidos nos testículos e transportados pelo sêmen, um líquido rico em nutrientes para dar energia, proteção e ajudar na movimentação dos gametas. Quando algum fator não funciona de forma adequada, engravidar pode se tornar uma tarefa mais difícil para o casal.

Como o espermograma ajuda na avaliação da fertilidade masculina?

A gravidez pode demorar alguns meses para acontecer, mesmo que o casal seja saudável e tenha uma vida sexual ativa. No entanto, após um ano de tentativas, é recomendado que procurem ajuda médica. Ambos devem participar da investigação da infertilidade conjugal, pois ela pode ser provocada por fatores femininos e masculinos de forma igual.

Com relação aos homens, o principal exame solicitado é o espermograma. Ele é um exame laboratorial que, a partir de uma amostra seminal, consegue avaliar diversos critérios referentes aos gametas e ao líquido seminal.

Quando os valores do espermograma não estão dentro dos parâmetros definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), significa que o paciente possui uma alteração seminal. Na lista de parâmetros seminais propostos pela OMS estão:

Quais são os resultados possíveis do espermograma?

Muitas pessoas acham que o espermograma diagnostica a infertilidade masculina, mas não é bem assim. O resultado ajuda a entender o que está comprometendo a fertilidade do paciente. Por exemplo, o exame pode indicar azoospermia, porém, a condição está relacionada a vários fatores, que precisam ser investigados com mais atenção para definirmos o tratamento adequado.

Entre os resultados possíveis do espermograma, estão:

Azoospermia

A azoospermia é uma condição caracterizada pela ausência de espermatozoides no sêmen. Ela pode ocorrer por um problema na produção ou pela presença de uma obstrução.

Necrozoospermia

A necrozoospermia ocorre quando a porcentagem de espermatozoides vivos na amostra está abaixo de 58%. Ou seja, existe uma grande quantidade de gametas imóveis no sêmen.

Oligozoospermia

A oligozoospermia se refere a uma queda no número total de espermatozoides presentes no esperma.

Teratozoospermia

A teratozoospermia é caracterizada por um problema na morfologia dos gametas. Nesse cenário, uma alta porcentagem de espermatozoides apresentam formato anormal.

O espermograma pode indicar mais de um resultado e, em alguns casos, é necessário realizar exames complementares para identificar a causa da infertilidade conjugal. O diagnóstico pode indicar a presença de várias doenças e condições, como a varicocele, tumores e a inflamação de órgãos do sistema reprodutor que dão origem à prostatite, à uretrite e à orquite.

Como a reprodução assistida pode ajudar homens com alterações seminais a terem filhos?

blank

Pacientes diagnosticados com infertilidade devido a alterações seminais podem recorrer às técnicas de reprodução assistida para ter filhos. Os casos associados a fatores leves podem utilizar a inseminação artificial (IA), que é uma técnica de baixa complexidade. Na IA, o sêmen do parceiro é coletado e passa por um preparo seminal antes de ser inserido na entrada da cavidade uterina da parceira.

Porém, para casos graves, a fertilização in vitro (FIV) é a mais indicada. De alta complexidade, ela utiliza técnicas mais modernas e com maiores taxas de sucesso. Para realizá-la, os gametas do casal são coletados e preparados antes da fecundação. A coleta seminal pode ser feita por masturbação ou por técnicas de recuperação espermática, como a PESA e MESA e a TESE e Micro-TESE.

Na FIV, a fecundação é realizada em laboratório, onde o espermatozoide é inserido diretamente no óvulo. Após alguns dias se desenvolvendo, os embriões de maior qualidade são transferidos para o útero da paciente.

O espermograma é o principal exame para investigar a fertilidade masculina. A partir de uma amostra, ele avalia diversos critérios micro e macroscópicos referentes à qualidade e a quantidade do sêmen. Desse modo, ele é uma excelente ferramenta para ajudar no diagnóstico de diversas doenças e condições que podem levar à infertilidade conjugal.

Neste artigo, mostramos uma visão geral sobre esse exame e a sua relação com a fertilidade masculina. Para saber mais sobre ele, confira a nossa página sobre o espermograma!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank