Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Infertilidade masculina: como é feito o diagnóstico?

Infertilidade masculina: como é feito o diagnóstico?

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A infertilidade masculina é uma condição preocupante, mas que muitas vezes não recebe a devida atenção. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estimativa é que 80 milhões de homens ao redor do mundo sejam inférteis.

Cerca de 30% dos casos de infertilidade conjugal estão relacionados exclusivamente à infertilidade masculina, enquanto outros 20% são casais em que tanto o homem quanto a mulher apresentam a doença. Ou seja, pelo menos metade dos casos de infertilidade estão relacionados a causas masculinas.

O grande problema é que comumente a infertilidade masculina é assintomática, ou seja, o casal só desconfia após meses de tentativa sem conseguir engravidar. Por isso, é imprescindível dar início à investigação da doença logo após qualquer suspeita, para obter o diagnóstico e realizar o tratamento.

Mas como se dá o diagnóstico da infertilidade masculina? Quais são os passos para a investigação da doença? Veja a resposta para estas e outras dúvidas a seguir:

O que pode causar a infertilidade?

blank

Apesar de ter diversas causas, a principal característica da infertilidade masculina é a baixa quantidade ou qualidade dos espermatozoides. Várias doenças e alterações hormonais podem ser responsáveis por essa condição, e todas acabam relacionadas à azoospermia ou à oligozoospermia.

Azoospermia e oligozoospermia

Azoospermia é a condição caracterizada pela ausência de espermatozoides no sêmen, enquanto a oligozoospermia indica a baixa produção e quantidade destes gametas. Ambas são consequências de outras doenças, e são um dos principais fatores causadores da infertilidade masculina.

A azoospermia pode ser obstrutiva, quando há um bloqueio em qualquer ponto do canal que leva os espermatozoides para a uretra, ou não obstrutiva, quando o corpo não produz os gametas masculinos. A oligozoospermia acontece quando o corpo produz espermatozoides em uma quantidade menor que a considerada normal — que é de 15 milhões de espermatozoides por ml de sêmen.

As duas condições podem ser causadas por distúrbios hormonais, ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), além de hábitos de vida que podem prejudicar os testículos ou o organismo em geral, como ingerir bebidas alcoólicas e o tabagismo.

Doenças que causam infertilidade

Diversas doenças podem causar a infertilidade masculina, já que seus sintomas ou consequências podem influenciar de forma negativa no sistema reprodutor masculino. A varicocele, por exemplo, é uma doença que se caracteriza por varizes nos testículos. Ela é uma das principais causadoras da infertilidade, já que interfere na produção dos espermatozoides.

Infecções sexualmente transmissíveis também podem afetar a qualidade dos gametas e até mesmo causar obstrução nos canais, impedindo a passagem dos espermatozoides. Entre as mais comuns estão a clamídia e a gonorreia.

Ainda, inflamações nos órgãos do sistema reprodutor, que podem ou não ser causadas por ISTs, também causam infertilidade. A orquite, epididimite e a uretrite são alguns exemplos e atingem, respectivamente, os testículos, o epidídimo e a uretra.

Como é feito o diagnóstico de infertilidade masculina?

Quando há a suspeita de infertilidade masculina, é necessário realizar alguns exames para que seja possível diagnosticar ou descartar a doença. O primeiro passo são os exames físicos, nos quais o médico pode analisar se há alguma alteração nos testículos e identificar uma possível varicocele, que é a doença mais comum que causa infertilidade.

Em seguida, realiza-se um espermograma para analisar todas as características do sêmen e dos espermatozoides. Por meio desse exame é possível verificar a qualidade seminal, a quantidade de gametas, sua motilidade e se estão em boas condições. É o método mais indicado para o diagnóstico de azoospermia ou oligozoospermia.

Caso o espermograma não ofereça um diagnóstico conclusivo, é necessário realizar outros exames laboratoriais e de imagem. Entre eles:

Cada exame pode identificar um ou mais problemas que podem estar relacionados à infertilidade masculina. Não há a necessidade de realizar todos os procedimentos, sendo o médico o responsável por solicitar os mais importantes para cada paciente em específico, de acordo com o histórico e os exames realizados anteriormente.

Como tratar a infertilidade masculina?

O tratamento indicado para a infertilidade vai depender do diagnóstico. Algumas doenças devem ser tratadas urgentemente para evitar futuras complicações além da infertilidade, enquanto outros problemas só precisam de tratamento se o homem e sua companheira estiverem tentando engravidar.

Alguns casos, como as alterações hormonais ou doenças inflamatórias, podem ser tratados com medicamentos. Outros, como a varicocele, necessitam de cirurgia.

Quando não há nenhum problema grave relacionado à infertilidade, a FIV (fertilização in vitro) se apresenta como uma possibilidade muito eficaz para aqueles que estão tentando ter um filho.

Esta técnica de reprodução assistida permite que os espermatozoides sejam selecionados antes de serem implantados nos óvulos. Dessa forma é possível escolher aqueles com maior qualidade e motilidade, aumentando as chances de fecundação.

A infertilidade masculina é uma doença que exige atenção, mas que se diagnosticada e tratada corretamente pode ser curada ou amenizada, resultando em uma maior qualidade de vida ou mesmo em uma futura gestação do casal. Se quiser conhecer outras características, sintomas e tratamentos da doença, leia o artigo sobre infertilidade masculina aqui no site.

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank