Art Fértil
Infertilidade: o que são fatores ambientais?

Infertilidade: o que são fatores ambientais?

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A infertilidade é um tema complexo, pois existem uma série de fatores relacionados a ela, mesmo que de forma sutil. O fator ambiental é um deles. Por isso, podemos estabelecer uma relação entre o nosso estilo de vida e a fertilidade.

A boa notícia é que a adição de hábitos saudáveis, como parar de fumar, praticar exercícios físicos e ter uma alimentação balanceada, além de trazer benefícios para a saúde em geral, também provocam impactos positivos na capacidade reprodutiva.

Continue lendo para descobrir como os fatores ambientais afetam a fertilidade feminina e masculina!

O que são fatores ambientais de infertilidade?

A infertilidade impacta milhares de casais no mundo, por isso, cada vez mais buscamos entender as causas desse problema. Nesse contexto, o estilo de vida e o ambiente podem causar alterações no sistema reprodutor provocando sérias complicações.

Confira, a seguir, 5 fatores ambientais e como eles se relacionam com a infertilidade.

Idade do casal

Os gametas também envelhecem com o passar dos anos. Os efeitos da idade são mais perceptíveis a partir dos 35 anos, mas de formas diferentes de acordo com o sexo. Os homens produzem espermatozoides ao longo de toda a sua vida, no entanto, há uma queda na qualidade do seu material genético a partir dos 40 anos, principalmente.

Nas mulheres, o processo de formação dos gametas ocorre de forma diferente. Elas nascem com uma quantidade definida de óvulos, que são liberados ao longo da sua vida reprodutiva. Assim, tanto a quantidade quanto a qualidade dos óvulos são impactados com o avanço da idade.

Obesidade

Nos homens, o excesso de peso pode desequilibrar o nível de testosterona e aumentar o risco de azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen) e oligozoospermia (redução na quantidade de gametas no líquido ejaculado), levando à infertilidade masculina.

A obesidade nas mulheres pode causar desequilíbrios hormonais, aumentando a probabilidade de ciclos anovulatórios (marcados pela ausência da ovulação), abortamentos espontâneos e doenças como a síndrome dos ovários policísticos.

Os extremos de peso são um risco para a saúde em geral. Por isso, assim como a obesidade, ter um peso muito abaixo do adequado também pode causar problemas na reprodução.

Tabagismo

Os efeitos do cigarro na saúde são amplamente conhecidos. O seu consumo está associado a infertilidade masculina devido à queda da qualidade espermática.

Nas mulheres, o tabagismo pode afetar a reserva ovariana, aumentar o risco de abortamento espontâneo e reduzir a chance de sucesso do tratamento de reprodução assistida. O impacto também atinge as pessoas que convivem com fumantes, por isso, as fumantes passivas também têm a fertilidade afetada.

Consumo de álcool

O álcool, quando consumido de forma exagerada, possui um efeito negativo nos parâmetros seminais e uma deterioração progressiva da qualidade do sêmen. Nelas, os efeitos do excesso de bebida alcoólica estão associados a distúrbios ovulatórios e queda da reserva ovariana, tornando a fecundação mais difícil.

Contato com substâncias nocivas

Os fatores ambientais também estão relacionados com o local onde vivemos ou trabalhamos. O contato com substâncias tóxicas pode provocar alterações na qualidade dos gametas e aumentar o risco de abortamento espontâneo.

Entre os tipos de substâncias nocivas, temos:

A poluição do ar das grandes cidades também é apontada como um fator que pode levar à infertilidade. Ela pode prejudicar a produção dos espermatozoides, alterar os parâmetros seminais nos homens e diminuir a reserva ovariana das mulheres.

Por que os hábitos saudáveis são importantes para a fertilidade?

Diversas condições e doenças provocam uma alteração no sistema reprodutor, causando a infertilidade. A adição de hábitos saudáveis na rotina é uma forma de prevenir esses fatores.

A alimentação tem um papel muito importante, pois, a partir do que comemos o nosso organismo retira os nutrientes necessários para nos manter vivos. Uma dieta balanceada contribui para a saúde de uma forma geral, inclusive para a fertilidade. Além disso, praticar exercícios físicos, parar de fumar e beber com moderação também são hábitos recomendados.

A infertilidade deve ser investigada se, após 12 meses de tentativas frequentes sem o uso de métodos contraceptivos, o casal não conseguir engravidar. Como a fertilidade diminui com a idade da mulher, esse período diminui para 6 meses se a parceira tiver mais do que 35 anos.

É recomendável que o casal seja investigado porque a infertilidade pode ser causada por fatores femininos, masculinos ou de ambos. Por isso, os dois devem passar por uma série de exames para descobrir o motivo da dificuldade para a mulher engravidar.

Todo esse processo considera as necessidades do casal, sendo totalmente individualizado. A partir dos resultados, o médico pode indicar o tratamento. No entanto, quando todas as hipóteses são descartadas e a causa não é detectada, chamamos de infertilidade sem causa aparente (ISCA). Nesses casos, a reprodução assistida é recomendada.

Como vimos, a infertilidade está relacionada a diversos fatores ambientais. Os nossos hábitos diários e o local onde vivemos e trabalhamos são capazes de influenciar a saúde reprodutiva e devem ser considerados durante a investigação de infertilidade. Assim, manter um estilo de vida saudável é uma forma de evitar algumas causas que podem dificultar a gestação.

Devido ao avanço da ciência, sabemos que os homens e as mulheres possuem a mesma probabilidade de serem inférteis. Confira o nosso material institucional sobre esse assunto e conheça as principais causas e tratamentos para a infertilidade masculina!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *