Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
O que é ovulação e qual a relação com o período fértil?

O que é ovulação e qual a relação com o período fértil?

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A fertilidade feminina, assim como a masculina, depende do bom funcionamento de uma série de fatores. A ovulação é um dos processos mais importantes, pois, sem ela, o encontro entre o óvulo e o espermatozoide não acontece.

A presença de desequilíbrios hormonais, doenças ou condições que atinjam a região dos ovários pode desencadear distúrbios ovulatórios e, como consequência, problemas de fertilidade.

Com esse artigo queremos mostrar, de forma simples, o que é ovulação e como ela se relaciona com a fertilidade feminina. Além disso, também vamos mostrar como a reprodução assistida pode beneficiar as mulheres com distúrbios ovulatórios.

Boa leitura!

O que é ovulação?

blank

A ovulação marca o momento do ciclo menstrual em que ocorre a liberação do óvulo pelo ovário. Esse processo acontece uma vez a cada ciclo menstrual, devido à ação dos hormônios sexuais femininos. Durante o ciclo menstrual, diversas alterações hormonais acontecem com o objetivo de preparar o corpo da mulher para uma gravidez.

Uma das funções do hormônio folículo-estimulante — mais conhecido como FSH — é estimular o desenvolvimento dos folículos ovarianos, que são um tipo de “bolsa” em que os óvulos são armazenados. Alguns folículos se desenvolvem a cada ciclo, porém, apenas um se tornará o folículo dominante, no qual terá em seu interior um óvulo maduro, apto para sair do ovário.

Quando o folículo atinge o tamanho ideal, o hormônio luteinizante (LH) alcança o seu pico e após 36 horas, a ovulação acontece. O folículo ovariano se rompe, liberando o óvulo para uma das tubas uterinas, onde a fecundação acontece.

Em um ciclo menstrual regular, ou seja, que possuem 28 dias de intervalo entre o primeiro dia da menstruação até o dia anterior da menstruação seguinte, a ovulação ocorre por volta do 14º dia. Em ciclos irregulares, isto é, quando o intervalo entre os ciclos menstruais é variável, fica mais difícil fazer o cálculo do dia da ovulação.

Se o encontro entre o óvulo e o espermatozoide acontecer, na sequência o embrião formado segue para o útero e, se houver a implantação, teremos a gravidez. Do contrário, o endométrio — a camada interna do útero — se descama dando origem à menstruação e ao início do próximo ciclo.

A fertilidade feminina é um tema complexo e está relacionada a diversos fatores. Os distúrbios ovulatórios estão entre os principais, pois, sem ovulação, não há fecundação e, consequentemente, não é possível engravidar de forma natural.

O que é anovulação?

Se a ovulação é caracterizada pela saída do gameta feminino do ovário, a anovulação é o seu oposto: a ausência da ovulação. Esse processo falha devido a algum problema, seja no hipotálamo, seja nas glândulas que compõem o sistema endócrino, seja nos ovários.

Os ciclos anovulatórios são irregulares, com intervalos maiores do que 35 ou menores que 24 dias. Além disso, a sua frequência também é indefinida. Essas características são muito relevantes, por isso, a mulher deve observar a periodicidade do seu ciclo menstrual e ir ao médico caso observe alguma irregularidade.

A principal causa de ciclos anovulatórios é uma doença muito conhecida entre as mulheres: a Síndrome dos ovários policísticos. A seguir, confira como ela se relaciona com a fertilidade.

Síndrome dos Ovários Policísticos

A síndrome dos ovários policísticos — também conhecida como SOP — atinge cerca de 6% a 16% das mulheres em idade reprodutiva. Ela é caracterizada por um distúrbio endócrino que aumenta o nível de hormônios masculinos, resultando no aparecimento de múltiplos pequenos cistos ovarianos.

O desequilíbrio hormonal provocado pela SOP afeta a qualidade de vida, a autoestima e a saúde reprodutiva das mulheres. Entre os seus sintomas estão:

Outras doenças também atingem o sistema reprodutor feminino e podem prejudicar a ovulação, como endometriose, o hipotireoidismo e o hipertireoidismo.

Como a reprodução assistida pode ajudar em casos de infertilidade?

A dificuldade para engravidar é um problema de saúde pública que atinge milhões de casais em todo o mundo. As técnicas de reprodução assistida são uma possibilidade cada vez mais procurada por famílias que desejam ter filhos.

Antes da escolha da técnica, o casal deve passar por uma investigação da fertilidade. Assim, o médico poderá indicar a técnica mais adequada. Todo o processo da reprodução assistida é individualizado, pois, cada caso é único.

Com relação aos distúrbios ovulatórios, a relação sexual programada (RSP), inseminação artificial (IA) e a fertilização in vitro (FIV) são técnicas recomendadas. As duas primeiras são indicadas para mulheres de preferência até 37 anos e com trompas normais, além de parceiro com espermograma normal ou levemente alterado. Para os casos em que além da SOP houver um fator tubário ou masculino de infertilidade, ou urgência reprodutiva devido à idade da mulher, a FIV será a melhor opção de tratamento.

A ovulação ocorre com a liberação do óvulo pelo ovário para que ele seja fecundado. Problemas na ovulação podem provocar ciclos anovulatórios e dificultar a gravidez. Para reverter esse quadro, a relação sexual programada, inseminação artificial e a fertilização in vitro são técnicas de reprodução assistida indicadas.

Conhecer o próprio corpo e saber quando será o seu período fértil é importante para aumentar as chances de engravidar naturalmente, ou então, evitar uma gestação, se este for o desejo da mulher. Clique e confira como calcular o período fértil!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank