Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Progesterona: o que é e qual a relação com a gravidez?

Progesterona: o que é e qual a relação com a gravidez?

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A progesterona é um hormônio que atua no ciclo menstrual e na gravidez. Os níveis dele no organismo precisam estar adequados para que a mulher possa engravidar, bem como ter um bom desenvolvimento fetal durante a gravidez. Por isso, é um hormônio fundamental na hora de constituir uma família.

Poucas pessoas conhecem bem a progesterona. É natural que uma mulher que esteja tentando engravidar queira aprender o que é e como ela influencia na capacidade de engravidar. Pensando nisso, preparamos esse artigo para você!

Leia o texto e aprofunde seus conhecimentos sobre a progesterona.

O que é progesterona?

A progesterona é um hormônio sexual feminino secretado pelos ovários durante a segunda fase do ciclo menstrual, e pela placenta durante a gravidez, embora também seja produzida pelas glândulas suprarrenais e pelo fígado (em menor grau).

Sua secreção começa quando a mulher atinge a puberdade com o início dos ciclos menstruais. É por isso que o hormônio também é responsável pelo desenvolvimento das características sexuais secundárias femininas: glândulas mamárias, pelos pubianos etc.

Trata-se, portanto, de um hormônio fundamental para a mulher.

Qual é a sua função?

Sua principal função é garantir que o útero crie as condições necessárias para a implantação do embrião, ou seja, é o hormônio que torna o útero materno receptivo para que a gravidez comece e se desenvolva.

Desde a ovulação, o ovário secreta esse hormônio, fazendo com que as paredes do útero formem uma camada interna e aumentem de espessura, preparando o endométrio para que a implantação ocorra com sucesso. Quando o nível de progesterona está baixo, o embrião pode ter dificuldade de implantação e o risco de aborto espontâneo é mais alto.

Se a fertilização não ocorrer, os níveis de progesterona diminuem no final do ciclo menstrual e o revestimento do útero, o endométrio que se espessou durante o ciclo menstrual, acaba descamando e sendo eliminado sob a forma de menstruação.

Entendendo o ciclo menstrual

O ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e termina no dia anterior ao início do próximo período. Consiste em quatro fases:

  1. Menstruação: a menstruação é a eliminação do revestimento espesso do útero (endométrio) do corpo pela vagina. O fluido menstrual contém sangue, células do revestimento do útero (células endometriais) e muco. A duração média de um período é de três dias a uma semana.
  2. Fase folicular: nesta fase, o óvulo está sendo preparado para ser liberado, sob a influência do FSH (hormônio folículo-estimulante). O estrogênio prepara o revestimento do útero ou da parede do útero para a implantação potencial de um embrião, caso você fique grávida.
  3. Ovulação: a ovulação é a liberação de um óvulo maduro da superfície do ovário. Isso geralmente ocorre no meio do ciclo (14º dia após o início da menstruação, considerando um ciclo de 28 dias), cerca de duas semanas antes do início da menstruação.
  4. Fase lútea: após a liberação do óvulo, os níveis de FSH e LH diminuem. O corpo-lúteo produz progesterona. Se a fecundação ocorrer, o corpo-lúteo mantém a produção de progesterona para que o revestimento endometrial não descame. Se a fecundação não ocorrer, o corpo-lúteo é absorvido pelo organismo, portanto os níveis de progesterona caem e o revestimento endometrial começa a descamar.

Progesterona na gravidez

Se o embrião se implanta no endométrio, dando início à gestação, o corpo-lúteo produz progesterona até a 10ª semana de gestação. A partir daí, será a placenta que se encarregará de secretar progesterona até o final de gestação.

Seu papel durante a gravidez é muito importante, por isso os níveis de progesterona no sangue aumentam mês a mês até o final da gravidez, quando começam a diminuir e o trabalho de parto é iniciado.

blank

Esse hormônio também desempenha um papel importante na preparação das glândulas mamárias para que possam secretar o leite materno após o parto.

O papel da progesterona na reprodução assistida

Em tratamentos como inseminação artificial e fertilização in vitro, o uso da progesterona é usado para suporte da fase lútea, principalmente na fertilização in vitro, pois, apesar de os ovários funcionarem corretamente, pelo efeito negativo que a punção folicular pode ter, a progesterona exógena é administrada para garantir níveis adequados até que a placenta assuma a sua produção.

Por outro lado, em tratamentos como doação de óvulos, doação de embriões ou transferência de embriões congelados, a administração do hormônio é fundamental para a gestação e sua evolução.

Nesses tratamentos, busca-se que os ovários não funcionem para que não interfiram no preparo endometrial, por isso a administração da progesterona é necessária para conseguir a gravidez e manter seu desenvolvimento.

Sugerimos também a leitura sobre como calcular o período fértil. Ajudará você a ter uma compreensão melhor dos fundamentos da importância do hormônio no corpo feminino.

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank