Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
SOP: como é feito o diagnóstico?

SOP: como é feito o diagnóstico?

// Por Dra. Altina Castelo Branco

Os hormônios cumprem uma função essencial para a fertilidade feminina e masculina. Para as mulheres, a ação dos hormônios influencia a ovulação, o ciclo menstrual, a qualidade e a quantidade de óvulos, por exemplo.

Por isso, desequilíbrios hormonais podem causar diversos problemas para a saúde reprodutiva da mulher. A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um exemplo disso.

Ela é classificada como um distúrbio endócrino e causa problemas na ovulação, dificultando a gravidez. As manifestações da SOP podem afetar a autoestima das mulheres, por isso, saber quais são os sintomas do distúrbio é o melhor caminho para o diagnóstico precoce.

Ao longo desse artigo, vamos mostrar quais são os seus sintomas e como é realizado o diagnóstico e o tratamento da SOP.

Boa leitura!

O que é SOP?

A síndrome dos ovários policísticos, também conhecida como SOP, é um distúrbio endócrino que provoca surgimento de múltiplos cistos nos ovários. Além disso, ela causa o aumento de hormônios androgênicos, provocando o crescimento de pelos e acne. Por isso, além da doença em si, muitas mulheres passam por problemas de autoestima e depressão.

Com relação à saúde reprodutiva da mulher, uma das complicações da SOP é a ausência e/ou distúrbio da ovulação. Apesar de ser possível engravidar com a doença, a presença de ciclos anovulatórios é uma das principais causas de infertilidade feminina.

Quais são os principais sintomas da SOP?

O desequilíbrio hormonal característico da SOP gera um aumento da produção da testosterona. Com isso, traços tipicamente masculinos ficam mais aparentes. A produção excessiva de hormônios androgênicos é chamada de hiperandrogenismo. Entre os seus principais sintomas estão:

Os sintomas acima são perceptíveis a olho nu, porém, eles não são os únicos sintomas da SOP. O hiperandrogenismo também afeta a ovulação. Ele prejudica o processo de seleção do folículo dominante e dificulta sua liberação, por isso, é mais difícil para a mulher engravidar naturalmente.

O ciclo menstrual da mulher portadora de SOP também apresenta alterações, como:

Como ela é diagnosticada?

blank

Diversos estudos foram realizados nas últimas décadas sobre a SOP, o que possibilitou um conhecimento maior sobre a doença. Por ser uma doença complexa e ter sintomas parecidos com outras doenças, o diagnóstico da SOP é feito por exclusão.

Atualmente, os critérios de Rotterdam são os mais utilizados para o diagnóstico da SOP. Eles foram divulgados no Consenso de Rotterdam pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) e a Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia (ESHRE).

O diagnóstico da SOP é confirmado pela presença de dois entre os três critérios abaixo:

Também é levado em consideração o histórico da paciente (genética e obesidade são consideradas como fatores de risco para a SOP) e os resultados de exames. Os mais solicitados são: a avaliação da reserva ovariana e a ultrassonografia transvaginal.

A avaliação da reserva ovariana analisa a qualidade e a quantidade dos óvulos da paciente. A ultrassonografia transvaginal é um exame de imagem utilizado para avaliar o volume ovariano e a presença de cistos.

Como é feito o tratamento da SOP?

Os sintomas da SOP afetam a qualidade de vida e a autoestima de muitas mulheres. Por isso, o quanto antes a paciente iniciar o tratamento, melhor. Apesar de não ter cura, o tratamento tem o objetivo de aliviar os sintomas.

A escolha do tratamento depende da vontade da paciente em engravidar naquele momento. Se ela não quiser engravidar, em geral, é recomendado o uso de anticoncepcionais orais e de hormônios para diminuir os sintomas de hiperandrogenismo.

Enquanto que, o tratamento voltado para pacientes que desejam engravidar é feito com uma das técnicas de reprodução assistida. São elas: relação sexual programada (RSP), inseminação artificial (IA) e fertilização in vitro (FIV).

Cada uma delas possui as suas particularidades, porém, todas possuem como primeira etapa a estimulação ovariana. Esse processo é fundamental para o tratamento de mulheres com SOP porque estimula o crescimento dos folículos ovarianos e a liberação dos óvulos.

É possível engravidar naturalmente com SOP, porém, pode ser necessário o uso de técnicas de reprodução assistida. Para saber mais sobre esse distúrbio.

Confira o nosso material exclusivo sobre a síndrome dos ovários policísticos!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank