Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
SOP e anovulação (ausência de ovulação): veja qual é a relação

SOP e anovulação (ausência de ovulação): veja qual é a relação

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é ​​um distúrbio hormonal comum entre mulheres em idade reprodutiva. As portadoras da doença podem ter períodos menstruais raros ou prolongados, além de níveis excessivos do hormônio masculino testosterona, geralmente produzido em pequenas quantidades pelos ovários.

O desequilíbrio hormonal leva à formação de múltiplos cistos na parte externa dos ovários (ovários policísticos), interferindo, ao mesmo tempo, na função deles. Enquanto o aumento na produção de androgênios estimula o desenvolvimento de traços um pouco mais masculinos.

Assim, SOP afeta de muitas formas na saúde feminina, desde a capacidade reprodutiva à qualidade de vida, levando ao desenvolvimento de transtornos emocionais como ansiedade ou depressão e, muitas vezes, ao afastamento social ou comprometimento das relações pessoais.

A anovulação, ou ausência de ovulação, é uma das principais consequências dessa Síndrome. Continue a leitura até o final e entenda a relação.

O que é SOP?

A SOP é um distúrbio endócrino-ginecológico, que interfere diretamente na função dos ovários.

Os ovários são duas glândulas do sistema reprodutor feminino, responsáveis pelo armazenamento dos folículos (bolsas que contém os óvulos primários) e pela produção dos hormônios femininos estrogênio e progesterona, ao mesmo tempo que produz testosterona em menores quantidades.

A cada ciclo menstrual os ovários liberam um óvulo para ser fecundado pelo espermatozoide. Para que isso aconteça, entretanto, diferentes etapas são necessárias.

No início do ciclo, diversos folículos crescem estimulados pela ação das gonadotrofinas FSH (hormônio folículo-estimulante) e LH (hormônio luteinizante). Esses folículos passam a secretar estrogênio, que atua no espessamento do endométrio, camada uterina que abriga o embrião nos primeiros dias de vida.

Entre os folículos que cresceram, entretanto, apenas um deles se torna dominante e desenvolve e amadurece. Quando o folículo está maduro, este é responsável pelo pico do estrogênio e o seu pico antecederá o pico do LH, que funciona como espécie de gatilho induzindo o folículo ao amadurecimento final e ao rompimento. O óvulo é, então, liberado (ovulação) e, em seguida, capturado pelas tubas uterinas onde o encontro com espermatozoide acontece (fecundação).

Em mulheres com SOP, entretanto, ocorre um desequilíbrio nos níveis dos hormônios envolvidos nesse processo, conhecido como foliculogênese, resultando em falhas.

A causa exata da SOP ainda permanece desconhecida, porém, diversos estudos sugerem que alguns fatores tendem a aumentar o risco para o desenvolvimento da doença, principalmente a genética e a resistência à insulina (RI).

A resistência à insulina, condição comum a mulheres obesas, é considerado um fator desencadeador da doença. Insulina é o hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pelo metabolismo da glicose para gerar energia, ao mesmo tempo que tem uma ação importante na maturação do folículo.

A RI, provoca o aumento de glicose no sangue, o que eleva naturalmente os níveis de insulina, estimulando a produção de andrógenos. Uma boa parte das mulheres com SOP é obesa. A influência genética, por outro lado, é justificada pela alta incidência da doença em parentes de primeiro grau das mulheres portadoras.

Mulheres que sofrem com obesidade ou possuem mãe e irmãs com SOP, portanto, têm maior risco de desenvolver SOP.

O que é anovulação?

Anovulação é o termo utilizado para definir a ausência de ovulação, ou seja, quando não ocorre o rompimento e liberação do óvulo durante o ciclo menstrual.

Em ciclos anovulatórios, muitas vezes a menstruação acontece normalmente, ainda que existam alterações no fluxo, por isso nem sempre as mulheres percebem que não ovularam.

É comum a anovulação ocorrer no início da puberdade e da menopausa, períodos em que naturalmente ocorrem alterações nos níveis hormonais.

No entanto, durante a fase reprodutiva, quando ocorre por mais do que dois meses consecutivos e se torna crônica, pode resultar em infertilidade. A SOP é considerada a principal causa de anovulação crônica.

Qual a relação da SOP com a anovulação?

O desequilíbrio hormonal característico da SOP resulta em irregularidades menstruais, como ciclos mais longos do que o normal, com maior ou menor quantidade de fluxo menstrual ou ausência de menstruação (amenorreia).

As irregularidades menstruais, por sua vez, provocam distúrbios de ovulação como dificuldades no amadurecimento do folículo ou a falha em liberar o óvulo. Isso acontece pois não há formação do corpo lúteo, estrutura que se forma a partir do folículo que rompeu, responsável pela liberação de progesterona.

O aumento da testosterona, também interfere no processo de ovulação. O hiperandrogenismo, surge como consequência do controle inadequado do eixo hipotálamo-hipofisário-gonodal e da resistência à insulina, que provoca um microambiente androgênico nas células foliculares imaturas, que passam a secretar mais testosterona, levando, assim, ao aumento da produção de hormônios andrógenos.

Esse microambiente impede o desenvolvimento e amadurecimento do folículo, resultando em anovulação.

Além de infertilidade, a SOP provoca a manifestação de diferentes sintomas, que impactam bastante a qualidade de vida das mulheres portadoras, interferindo na autoestima, nas atividades cotidianas ou nas relações profissionais e pessoais.

Entre eles as alterações corporais consequentes do hirsutismo, como queda temporária de cabelo e crescimento de pelos em locais pouco comuns, incluindo a face, os seios e as costas, por exemplo.

O que fazer para ter filhos?

Mulheres com SOP que desejam engravidar podem contar com os tratamentos de reprodução assistida. Em todos eles a primeira etapa é a estimulação ovariana, procedimento realizado com medicamentos hormonais sintéticos semelhantes aos hormônios naturais, para estimular o desenvolvimento e amadurecimento de mais folículos, garantindo, dessa forma, mais óvulos para serem fecundados.

A definição da técnica mais adequada para cada paciente, entretanto, considera diferentes fatores, incluindo a idade da mulher. As três principais são a relação sexual programada (RSP), inseminação artificial (IA) e fertilização in vitro (FIV). Todas elas aumentam as chances de gravidez de mulheres com SOP quando indicadas adequadamente,

Quer saber mais sobre a SOP? Toque aqui.

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *