Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Causas de aborto de repetição: quais são

Causas de aborto de repetição: quais são

// Por Dra. Altina Castelo Branco

O aborto de repetição é um fenômeno que geralmente causa muito sofrimento para o casal que está tentando ter filhos, normalmente porque, após a recorrência dos abortamentos, há sentimentos como o medo de um deles, ou ambos, serem inférteis e, assim, não poderem gerar um bebê.

As causas do aborto de repetição podem ser variadas e esse quadro normalmente é resultado de doenças adquiridas, como pólipos endometriais e miomas uterinos, bem como problemas genéticos, hereditários ou não.

O desconhecimento dessas possíveis causas, muitas vezes é o motivo que pode trazer ansiedade ao casal, aumentando sua apreensão quanto a possibilidade de gerar filhos biológicos.

É muito importante diagnóstico acurado para compreender quais as causas do aborto de repetição. Assim, o problema pode ser devidamente tratado antes de uma nova tentativa gravidez.

O diagnóstico pode ser obtido por exames de imagem como a ultrassonografia e a ressonância magnética, além do espermograma e a avaliação da reserva ovariana.

O aborto de repetição também pode ser causado por alterações no sistema imunológico, induzido por inflamações – que aumentam a concentração de células NK (natural killer) – o que é confirmado por exames específicos.

O diagnóstico preciso é necessário mesmo quando o casal recorre ao auxílio da reprodução assistida, para que seja possível a escolha da melhor técnica, entre as disponíveis, de acordo com cada caso.

O objetivo deste texto é esclarecer sobre o aborto de repetição e suas possíveis causas, aproveite a leitura e entenda melhor sobre o assunto!

Qual a diferença entre aborto espontâneo e aborto de repetição?

O aborto espontâneo é a interrupção involuntária de uma gestação, que geralmente ocorre devido a problemas endometriais ou no desenvolvimento do embrião, antes da 22ª semana de gravidez.

Sangramento e dores abdominais ou lombares são os principais sintomas do abortamento espontâneo, em face dos quais é necessário buscar atendimento médico imediato e de urgência.

Apesar de não ser possível reverter o abortamento uma vez que ele inicia, existe a possibilidade da utilização de alguns medicamentos e procedimentos, como a AMIU (aspiração manual intrauterina), para evitar complicações maiores.

A mulher e o casal também podem sentir muita angústia após este processo e em alguns casos é necessário buscar apoio psicológico profissional.

Quando o abortamento ocorre por duas ou mais vezes seguidas, o quadro pode ser classificado como aborto de repetição, que normalmente tem causas mais complexas, tornando importante que a mulher esteja atenta e procure atendimento médico para obtenção de um diagnóstico mais preciso.

Diversas podem ser as causas do aborto de repetição, porém as principais são:

Entenda melhor como pode acontecer o aborto de repetição

blank

Uma das causas de aborto de repetição são as falhas de implantação embrionária, que ocorrem quando o embrião não consegue se fixar no endométrio, normalmente porque há problemas na receptividade uterina.

Essas falhas podem ser desencadeadas por diferentes motivos, como alterações na anatomia uterina, presença de miomas uterinos, pólipos endometriais, alterações hormonais, endometriose e fatores genéticos.

Aneuploidia, por exemplo, quando há presença ou ausência de mais cromossomos do que o normal no óvulo ou espermatozoide, resulta em embriões de má qualidade e, consequentemente, em falhas e abortamento.

Enquanto as malformações uterinas, congênitas ou provocadas por doenças como miomas, pólipos e endometriose, dificultando ou impedindo a gravidez, resultando em abortamento.

Já a trombofilia, doença em que há maior propensão para a formação de coágulos, pode afetar a vasculatura placentária, o que também resulta em abortamento.

Também podem ocorrer por falha no preparo endometrial: o endométrio precisa estar receptivo para a implantação do embrião. Normalmente, pela ação dos hormônios sexuais estrogênio e progesterona, aumenta em espessura para recebê-lo. A ação desses hormônios pode ser comprometida por diferentes condições, e o desequilíbrio, consequentemente, leva ao preparo inadequado do endométrio.

Em casos como miomas e pólipos, a integridade do endométrio pode ficar comprometida, o que acaba gerando abortamentos sequenciais.

As inflamações uterinas – como nos casos de endometrite provocada por ISTs (infecções sexualmente transmissíveis) – também podem dificultar a implantação, por causarem alterações no ciclo endometrial, e, consequentemente, um deslocamento da janela de implantação.

Se a inflamação ocorrer durante a gravidez, mesmo quando o embrião é implantado com sucesso, a gestação pode ter complicações que resultam em perda, assim como podem deixar sequelas e afetar a fertilidade da mulher.

Além disso, fatores masculinos também contribuem. Ao mesmo tempo que os espermatozoides perdem, da mesma forma, em qualidade com o envelhecimento, aumentando as chances de aneuploidia, sabe-se, hoje, que a fragmentação do DNA espermático, condição em que ocorre a perda da integridade do DNA, é uma das principais causas de infertilidade masculina, e o abortamento está entre as suas consequências.

Para saber mais sobre aborto de repetição toque neste link.

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank