Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
Clamídia e infertilidade: veja como isso acontece

Clamídia e infertilidade: veja como isso acontece

// Por Dra. Altina Castelo Branco

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem ser causadas por diferentes agentes infecciosos, como bactérias, vírus e microrganismos. No caso da infecção por clamídia, o causador é a bactéria Chlamydia trachomatis.

Conhecida por seu caráter assintomático, ela pode causar uma série de consequências, como a infertilidade, se não for tratada adequadamente. A clamídia atinge homens e mulheres, sendo transmitida, principalmente, por contato sexual com uma pessoa infectada. Ela também pode ser transmitida da mãe para o filho durante o parto.

Ter o conhecimento sobre as doenças mais comuns e ficar atento aos sinais do corpo são atitudes importantes. A clamídia tem tratamento e o quanto antes o paciente procurar um médico, menor será o risco dela afetar a capacidade reprodutiva. Por isso, neste artigo, vamos abordar a relação entre a clamídia e a infertilidade.

Confira!

Como a clamídia pode causar infertilidade?

A clamídia é uma das principais causas de infertilidade, tendo uma alta prevalência entre a população. A falta de tratamento é o grande inimigo quando falamos sobre essa doença. A demora faz com que ela se agrave e se espalhe para outros órgãos do sistema reprodutor. Tanto a capacidade reprodutiva dos homens, quanto das mulheres podem ser afetadas.

Nos homens, a clamídia pode desenvolver um quadro de inflamação nos epidídimos (epididimite) e na próstata (prostatite). Ambos provocam uma queda na qualidade espermática, afetando a fertilidade.

Nas mulheres, a relação entre a clamídia e a infertilidade está diretamente relacionada à doença inflamatória pélvica (DIP). A clamídia é um dos principais agentes causadores de DSTs, causando uma infecção no útero e nas tubas uterinas. Ela dificulta a gravidez pois pode provocar obstruções nos órgãos, afetando a fecundação e a implantação do embrião.

Além da infertilidade, a clamídia também pode causar complicações durante a gestação. Ela aumenta o risco de gravidez ectópica, quando a gestação evolui fora da cavidade uterina, em geral, nas tubas uterinas.

Fatores de risco

A clamídia possui alguns fatores de risco, que aumentam a probabilidade de desenvolver a doença, como:

Prevenção

blank

A sua principal forma de transmissão é durante o contato sexual (anal, oral ou vaginal) com um parceiro infectado. Por isso, o preservativo (feminino e masculino) é o único método contraceptivo capaz de prevenir a transmissão de DSTs.

Quais são os sintomas da clamídia?

De forma geral, a clamídia é assintomática, por isso esse tipo de DST é tão grave. Além disso, nos casos que apresentam sintomas, eles começam a aparecer por volta do 14º dia após a contaminação, outro fator que torna o seu diagnóstico mais difícil.

Na lista dos sintomas mais comuns, temos:

A clamídia também pode apresentar sintomas diferentes entre homens e mulheres. Alguns dos sintomas exclusivamente masculinos, são:

Entre os sintomas mais comuns entre as mulheres, temos:

Como é feito o tratamento da doença?

O tratamento da clamídia é feito com antibióticos que podem ser de dose única ou administrados ao longo de 7 dias, de acordo com a análise médica. Para evitar novas contaminações, é recomendado que a paciente evite ter relações sexuais até estar oficialmente curada.

Por ser uma doença com alto poder de transmissão é muito importante que os parceiros dos últimos 2 meses da paciente sejam testados e recebam tratamento. A DST é curada rapidamente, no entanto, ela não previne uma reinfecção. Por isso, a adoção de medidas preventivas continua sendo essencial.

Uma das complicações da clamídia é a infertilidade. A dificuldade para engravidar é uma das consequências da demora no tratamento, devido aos danos que ela causa no sistema reprodutor. Nesses casos, o casal pode alcançar uma gestação por meio de técnicas de reprodução assistida.

Entre os métodos disponíveis, a fertilização in vitro (FIV) é a mais indicada para fatores graves de infertilidade. Na FIV, a fecundação é realizada em laboratório e os embriões formados são, posteriormente, transferidos para o útero materno.

A infecção por clamídia é uma das DSTs com maior prevalência mundial. Ela é transmitida por uma bactéria durante o contato sexual desprotegido com uma pessoa contaminada. Ela pode reduzir drasticamente as chances de gravidez quando não é tratada corretamente. Nos casos de infertilidade, o casal tem uma boa chance de sucesso ao optar pela reprodução assistida.

Neste artigo, mostramos os principais aspectos da clamídia. Para saber mais sobre ela e como é feito o seu diagnóstico, confira a nossa página institucional sobre a infecção por clamídia!

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank