Art Fértil | WhatsApp
Art Fértil
O que é e como acontece a fecundação

O que é e como acontece a fecundação

// Por Dra. Altina Castelo Branco

A gestação é um momento de extrema importância para a mulher – que comporta em seu corpo a vida de um ser humano – e também para a família como um todo, que muitas vezes se transforma para a chegada do bebê.

Embora a fecundação seja um dos primeiros eventos importantes para a gestação, outros acontecimentos relevantes precedem o encontro dos gametas. Além disso, os primeiros dias de vida do embrião são essenciais para uma gravidez tranquila, e também estão ligados diretamente à fecundação.

No texto a seguir você vai encontrar informações sobre a fecundação e como ela ocorre, tanto nas gestações conseguidas por vias naturais, como naquelas que resultam de tratamentos com a reprodução assistida.

Aproveite a leitura!

O que são gametas?

As células reprodutivas de homens e mulheres são também chamadas gametas e diferenciam-se das demais células do corpo humano por conter apenas metade do material genético de um ser humano.

Os gametas masculinos são os espermatozoides, emitidos na ejaculação, junto com outros componentes do sêmen, líquidos nutritivos e protetivos produzidos pelas glândulas anexas, incluindo a próstata.

Produzidos a partir do desenvolvimento dos espermatócitos – estimulado pela ação da testosterona nas paredes dos túbulos seminíferos (testículos) –, os espermatozoides adquirem motilidade nos epidídimos e encontram os líquidos glandulares para a formação do sêmen nos ductos deferentes, seguindo pela uretra durante a ejaculação.

Diferente do que acontece com os gametas masculinos, que são continuamente produzidos após a puberdade, os femininos, chamados óvulos, individualmente envolvidos pelo folículo ovariano, são produzidos em sua totalidade ainda no período pré-natal durante a formação do sistema reprodutivo feminino.

O que é fecundação?

A fecundação, de forma geral, acontece com a união de um único gameta masculino e um gameta feminino (espermatozoide e óvulo), quando um homem e uma mulher mantêm relações sexuais durante o período fértil feminino.

Porém, tecnicamente, a fecundação é a fusão dos materiais genéticos, contidos no interior dos pronúcleos dos gametas.

A fusão acontece quando o espermatozoide que consegue romper a zona pelúcida e penetrar o meio intracelular do óvulo libera o material genético contido em seu pronúcleo para o encontro com o material genético do óvulo.

Este encontro forma um DNA humano completo e a primeira célula do futuro bebê, o zigoto.

Embora a fecundação aconteça principalmente por vias naturais, as várias técnicas de reprodução assistida também conseguem reproduzir esse evento, atendendo às diversas demandas reprodutivas da atualidade.

Fecundação por vias naturais

A fecundação por vias naturais acontece quando um casal mantém relações sexuais, sem o uso de preservativos de barreira e contraceptivos hormonais, durante o período fértil da mulher: momento do ciclo reprodutivo em que existem maiores chances de engravidar.

O ciclo reprodutivo das mulheres consiste em uma sequência de eventos hormonais ligados diretamente à ovulação, embora seja um consenso considerar a menstruação como o primeiro dia do ciclo.

Na menstruação, a produção das gonadotrofinas FSH (hormônio folículo-estimulante) e LH (hormônio luteinizante) é retomada, e o aumento na concentração desses hormônios, que agem nos ovários, induz ao recrutamento e amadurecimento dos folículos ovarianos, além de estimular a produção de estrogênios pelas células foliculares.

A ovulação acontece quando as gonadotrofinas e os estrogênios atingem um pico de concentração máximo, provocando o rompimento do folículo dominante para a liberação do óvulo em direção às tubas uterinas onde permanece por cerca de 36h, quando pode ser fecundado.

Considerando que os espermatozoides sobrevivem aproximadamente 72h no interior do corpo da mulher, a fecundação pode acontecer por vias naturais como resultado de relações sexuais que aconteceram mesmo antes do momento da ovulação. Por isso, o período fértil considera também os 3 dias anteriores, além da ovulação e as 36h que a sucedem.

De forma geral, a taxa de gestação para as tentativas por vias naturais em casais sem infertilidade conjugal é de 20% por ciclo reprodutivo. Se o casal passar mais de 12 meses tentando engravidar sem sucesso, pode receber indicação para tratamento com reprodução assistida, devido a um quadro de infertilidade conjugal.

Fecundação na reprodução assistida

RSP e IA

Nas técnicas de baixa complexidade, como a RSP (relação sexual programada) e a IA (inseminação artificial), os tratamentos preveem a fecundação no interior das tubas uterinas.

Na RSP, a mulher passa pela estimulação ovariana, no início do ciclo menstrual, e pela indução à ovulação, quando o monitoramento ultrassonográfico da estimulação ovariana indica o auge no amadurecimento dos folículos. A partir da indução à ovulação, o casal tem 36h para manter relações sexuais com grandes chances de resultar em gravidez.

Na IA, a mulher também passa pela estimulação ovariana, seguindo protocolos semelhantes à RSP, porém espera-se que a fecundação ocorra após a inseminação de uma amostra de sêmen – normalmente obtida por masturbação e submetida ao preparo seminal – no interior da cavidade uterina, após a indução da ovulação.

As técnicas de baixa complexidade são indicadas para infertilidade feminina leve, por oligovulação, embora a IA possa também ser indicada para infertilidade masculina leve e casais homoafetivos femininos, que utilizam gametas masculinos pela doação de sêmen.

Fertilização in vitro

blank

Na fertilização in vitro, ou simplesmente FIV, a fecundação é um evento reproduzido de forma altamente controlada, em laboratório, com a união de óvulos obtidos por aspiração folicular e de espermatozoides previamente coletados. Na FIV, a mulher também passa pela estimulação ovariana, porém com protocolos medicamentosos mais robustos.

A fecundação na FIV pode ser feita pela forma tradicional, em que o óvulo selecionado é colocado em contato com os espermatozoide, em um tubo de vidro, que disputam a penetração no gameta feminino, ou por ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoide).

Na ICSI um único espermatozoide é selecionado e introduzido no meio intracelular do óvulo com o auxílio de uma agulha.

Quer saber mais sobre a FIV? Toque neste link e leia nosso conteúdo completo.

Compartilhar: Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank blank